sábado, 20 de fevereiro de 2010

Meu amoleto... a regra da minha vida

"Reconheça sempre que a qualidade da vida é como a de um sonho e reduza o apego e a aversão. Pratique a boa vontade com todos os seres. Seja amoroso e compassivo, não importa o que os outros lhe façam. O que eles farão não tem tanta importância quando você vê tudo como um sonho. A arte é manter intenção positiva durante o sonho. Esse é o ponto essencial, Essa é a verdadeira espiritualidade."

"Possa eu ser um protetor dos desprotegidos, Um guia dos que viajam e um barco, uma ponte, uma passagem para os que desejam a outra margem

Que a dor de cada criatura viva possa ser completamente afastada. Que eu possa ser médico e remédio e o enfermeiro de todos os seres doentes do mundo até que todos estejam curados

Tal como o espaço e os grandes elementos como a terra, possa eu sempre sustentar a vida de as infinitas criaturas

E até que elas transponham a dor possa eu também ser a fonte de vida para todos os reinos de diferentes seres que se estendem até os confins do espaço."

"Através da vossa benção (Buda Rinpoche) da vossa graça e sob vossa direção, pelo poder da luz que voz emana:
Possa meu carma negativo, minhas emoções destrutivas, obscurecimentos e bloqueios serem purificados e removidos; Possa eu me ver perdoado de todo o mal que fiz e que pensei, possa eu consumar essa profunda prática de Phowa, e ter uma morte boa e serena, e pelo triunfo da minha morte possa eu ser capaz de ajudar todos os seres, vivos ou mortos"


do livro tibetano do viver e do morrer

Quero compartilhar com você, quem esta perdendo seu tempo agora lendo este blog, uma música muito importante para mim, uma música que é uma verdadeira inspiração e cantada lindamente por uam das maiores vozes do Brasil! Maria Bethânia

Romaria
(Renato Teixeira)

É de sonho e de pó
O destino de um só
Feito eu perdido em pensamentos
sobre o meu cavalo
É de laço e de nó
de gibeira o jiló
dessa vida cumprida a sol

Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
o trem da minha vida
Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
o trem da minha vida

O meu pai foi peão
Minha mãe solidão
Meus irmãos perderam-se na vida
A custa de aventuras
Descasei, joguei, investi, desisti
se há sorte, não sei, nunca vi

Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
o trem da minha vida
Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
o trem da minha vida

Me disseram porém
se eu viesse aqui
prá pedir de romaria e prece
paz nos desaventos
como eu não sei rezar
só queria mostrar
meu olhar, meu olhar, meu olhar

Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
o trem da minha vida
Sou caipira, Pirapora Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
o trem da minha vida



Nenhum comentário:

Postar um comentário